Sociedade

Demora na atualização do Cadastro Único pode prejudicar famílias carentes em Rolândia

A denúncia foi compartilhada em um perfil do Facebook e levantou indignação outras pessoas que temem em perder o direto aos auxílios por não terem condições de atualizar o cadastramento a tempo

Nesta segunda-feira (15) Cristina Pierreti de Souza usou seu perfil do facebook para fazer uma “Denúncia Grave” segundo suas palavras.

 “Faz 2 meses que nosso povo está passando dificuldade (...) Estou indignada com os vereadores por isso. Os CRAS estão fechando as 14 horas na nossa cidade. Nas cidades vizinhas atendem o dia todo. Quem vai brigar por nós???”. Afirmou Cristina em sua postagem.

 

 

Segundo Cristina a Secretaria de Assistência Social não está atualizando os Cadastros Únicos. Ela acredita que a atualização é fundamental para que o cidadão receba o Auxílio Emergencial disponibilizado pelo Governo Federal. Na publicação, várias pessoas comentaram afirmando passar pela mesma situação.

Em denúncia, Cristina ainda relata sobre o horário reduzido de funcionamento, que afirma ser diferente das cidades vizinhas como Londrina e Cambé que estão funcionando por mais tempo.

Consultada sobre a denúncia, Silvana Manganotti Secretária de Assistência Social, afirmou que o problema é que as pessoas não costumam atualizar o cadastro e como agora é obrigatório os pedidos aumentaram.

Silvana ressaltou que o governo estabeleceu como prazo até o fim deste mês para atualização. “Estamos trabalhando normalmente (...) Nós não paramos nem um dia, é que existe uma demanda grande e temos uma agenda lotada para os próximos 15 dias ”, afirmou Silvana.

Confrontada com a resposta da Secretária de Assistência Social do Município de Rolândia, a denunciante, Cristina Pieretti de Souza, reafirmou que não compreende por que no município só está trabalhando até as 16h, enquanto os municípios vizinhos atendem em horário normal, até as 17h.

Cristina ainda ressaltou que o atendimento só por telefone dificulta para aqueles que não tem acesso a esse meio. “Tem gente que não tem nem dinheiro para por crédito para ligar lá no CRAS”, lamenta.

Além do atraso na atualização do Cadastro Único, Cristina alerta que recebeu a informação de uma pessoa ligada a secretaria referente ao programa Comida Boa, implementado pelo Governo do Paraná.

Segundo ela, cerca de 1000 cartões do Programa Social ainda não foram entregues. “Caso não seja dada baixa nestes cartões o órgão regulador MDS (Ministério do Desenvolvimento Social) pode cancelar o cadastro única das pessoas a quem se destinam esses cartões por entender que elas não precisam do auxílio”, alerta Cristina.

Se confirmada essa ressalva, isso faria com centenas de famílias carentes fossem retiradas do Cadastro Único e perdessem todos os benefícios como Bolsa Família e auxílio emergencial do Governo Federal.

Já Silvana Manganotti explicou que o cartão Comida Boa, foi amplamente divulgado e inclusive comunicado por telefone a todos os beneficiários, mas teve pequena adesão. A secretária confirmou que existe sim mais de 1000 cartões para serem distribuídos porque as pessoas não comparecem para buscar.

No entanto a secretária não soube informar sobre o risco do MDS (Ministério do Desenvolvimento Social) retirar essas pessoas do Cadastro Único caso não seja dada baixa nos cartões Comida Boa.  Ela afirma desconhecer essa informação.

Cristina Pieretti de Souza quem fez a denúncia questionou ainda essas informações. Para Cristina política pública é para atender as pessoas na sua necessidade mais primária e não para as pessoas mais pobres, mais miseráveis terem que gastar dinheiro que não tem com telefone.

“A secretária fica sentada esperando as pessoas aparecerem, enquanto tem motoristas disponíveis para fazer a entrega desses cartões”, dispara Cristina.

Informações no site do Ministério da Saúde explicam que o Cadastro Único e a atualização dos dados são fundamentais para que a população de microempreendedores, trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa tenham acesso ao auxílio emergencial concedido pelo governo federal, e também sejam atendidos por outros programas como o Bolsa Família e o Cartão Comida Boa.

Silvana Manganotti, Secretária de Assistência Social informou que enviará uma nota oficial para imprensa esclarecendo todos os fatos levantados na denúncia. Até o fechamento desta reportagem a nota ainda não havia sido recebida.